domingo, 12 de junho de 2011

São Mamede de Infesta – Trancoso (196Km em 8:25h)

Eram 8h da manhã quando saí da minha residência em São Mamede de Infesta - Matosinhos - rumo à casa onde vivi a minha juventude e onde hoje habitam os meus pais, em Trancoso. Esperavam-me cerca de 200Km. Desde que me dedico ao desporto que tinha em mente a realização deste projecto. A exigência de treinos longos para o (outro) projecto do Ironman, o facto de estar a 2 meses da sua realização, já com um bom nível de treino e sem que o eventual desgaste excessivo o pusesse em causa, e o feriado de 10 de Junho, foram os condimentos perfeitos.

Na véspera abdiquei de um treino de rolos para preparar a travessia… em autonomia… autonomia mesmo. Preparei as bebidas e o gel (a ideia era aproveitar para testar a minha capacidade de passar 8 horas a ingerir só gel…). Escolhi o trajecto: Porto-Valongo-Paredes-Penafiel-Amarante-Mesão Frio-Peso da Régua-Tabuaço-Vila da Ponte-Trancoso. Sairia às 8h e chegaria às 16h, portanto, numa média de 25Km/h… Comigo levaria um telemóvel, um documento de identificação e 20€ em dinheiro, tendo feito a previsão de parar duas vezes para encher os bidões c/ água… a minha mulher também iria para Trancoso, mas por auto-estrada, pela A25 e não me poderia valer se tivesse problemas… e porque gosto mesmo de autonomia (a sério) o telefone só seria utilizado se houvesse problemas.

3 ideias gerais:

1 – Má opção de percurso… Entre o Porto e Amarante o percurso é horrível, em sobe e desce constante e por estradas cheias de buracos, carros e muita porcaria. Mas depois de atravessar Amarante foi uma viagem prazenteira, com natureza do mais belo que o país tem, e até conseguia ouvir a água a correr sempre que me aproximava de um riacho… As estradas que percorri tinham pouco trânsito e apesar de terem muita inclinação, valeu muito a pena (se voltar a fazer isto, seguirei até à Régua junto ao Rio Douro (por Entre-Os-Rios);

2 – Em nenhum momento tive dúvidas que era capaz de chegar ao fim… Em nenhum momento me senti esgotado, com pensamentos do género “porque é que me meti nisto”… e nas zonas mais planas, fui capaz de acelerar e fazer médias bem altas (superiores a 30Km/h)… Mas isto foi possível porque geri muito as fases de estrada em mau estado e as subidas para o Marão e para Tabuaço… aqui fui a um ritmo “paciente”… no final a média foi de 23,2 Km/h, sendo que a primeira metade demorei 4:30h e a segunda, menos de 4h. Cheguei em Trancoso (também a subir bem) e mais tarde o meu filho mais velho disse-me que “não parecia cansado” … e não me sentia muito cansado. Pensei várias vezes, na fase final da travessia e já depois disso se seria capaz de fazer uma maratona depois destes 200Km… o meu pensamento nunca foi “não”… Mas não sei se será a mesma coisa quando fizer 180Km em 6h (e pouco…).

3 - Por fim, nas duas paragens que fiz para encher bidons não resisti a um bolinho e um sumo… Mas acho que me aguentei bem com o regime à base de gel…

Para já, bons sinais…

Abraços.

6 comentários:

NC disse...

bom teste Rui
abraço

Pedro Brandão disse...

Muito bem Rui. Esse espirito é altamente. Boa onda. GRande abraço e força ai nos treinos

Mark Velhote disse...

Viva Rui,

Já tinhas falado deste desafio e conseguiste concretizá-lo com sucesso.
O facto de o teres feito a "solo" ainda o tornou mais prazeroso utilizando as tuas palavras.~

Parabéns! 1 abraço e resto de bons treinos!

João Correia disse...

Por coincidência, ambos escolhemos este fds para um longo de 200kms. Não deixa de ser interessante. Oxalá estas nossas ideias não tragam mais divórcios. :))
Tenho em mente fazer Esposende-Bayona-Esposende...terei a tua companhia? Está lançado o desafio.

Um abraço para o "autónomo".

Anónimo disse...

Olá Rui
tudo que mete longas distâncias mexe comigo, uma profunda admiração pelos que o fazem em competição pois claro mas também e em especial pelos que pelo simples e único prazer de a solo vencer um desafio também o fazem.
Força companheiro, és grande.
Abraço.
António

PGomes disse...

Que inveja :) A minha mãe mora a 25km e ainda não consegui organizar-me para ir a correr até lá!