domingo, 19 de julho de 2009

A minha primeira vez… num Olímpico.

Agora sim, sinto que já fiz alguma coisa no triatlo. Foi a distância Olímpica (1,5Km+40Km+10Km), em Aveiro, num tempo de 02:35:41, tendo ficado em 130º lugar em 174 que o concluíram.

Nas minhas expectativas estava um tempo inferior a 02:30:00, mas acabei por gerir
o esforço em todos os segmentos e não estou desiludido com o que fiz. O parcial de natação foi o de 30:34, com a primeira transição a demorar 02:06, o parcial de ciclismo não aparece nos registos da classificação e andei a fazer contas para o calcular, e demorou 01:14:20 (já inclui a transição, que neste caso terá sido muito rápida – talvez 00:30). Por fim, no parcial de atletismo demorei 00:48:41. Os tempos foram o que acho que devia ter feito, talvez pudesse ter feito melhor na natação, sendo que fui fazendo a gestão do meu esforço ao longo de toda a prova...

(pequeno relato)

NATAÇÃO


Depois do triatlo da Amizade (feito há quinze dias) ganhei confiança para o segmento da natação. No entanto, pensei..., estava no Campeonato Nacional Individual, tive que me federar para fazer esta prova, e achava que só estava ali rapaziada de topo, ao contrário do que teria acontecido em V. N. de Cerveira. Para além disso, as características do percurso de natação, por um dos canais da ria, com a partida de um local que começava a afunilar nos primeiros 200mts e prevendo-se muita luta na água, optei, assim, por deixar partir toda a gente e arrancar nas traseiras do “pelotão”. Má opção. Rapidamente estava com uma parede enorme de pessoas à minha frente, que seguiam a um ritmo inferior ao meu. Ultrapassei uma primeira massa de gente, vislumbrei um campo aberto à minha frente e comecei o esforço na natação nesta altura (até aí tinha nadado lentamente a tentar fazer gincanas entre os companheiros desta prova). Pouco tempo depois estava com mais um grupo pela frente que, novamente, tive dificuldades em ultrapassar. As razões eram simples: pouca visibilidade, os canais da ria são estreitos e os adversários seguiam uns aos lado dos outros e ocupavam uma parte significativa da largura do canal. O retorno dos 750mts surgiu e um pequeno engano deste grupo, cedeu-me a passagem e lá fui… Voltei a nadar forte e voltei a ter mais um grupo para ultrapassar. À terceira foi de vez, ganhei força e meti-me no meio de dois nadadores e tentando não magoar ninguém, lá voltei a ficar com a ria aberta, só para mim. Daí até ao final ainda ganhei mais uns lugares, mas foram fáceis as ultrapassagens porque eram participantes isolados. Ainda sprintei na fase final e acabei com a sensação que fazia outro tanto sem grandes problemas… (Os meus treinos longos em piscina são de 3000mts, fazendo normalmente 1h). Considero que posso descrever este segmento como salgado, estreito, enlameado, com a primeira parte cheio de gente e… fácil.

1ª TRANSIÇÃO


Nas minhas anteriores participações em triatlos, retive sempre uma certa dificuldade na passagem da natação para a bicicleta, com alguma falta de fôlego no momento em que calçava as sapatilhas. Ontem não foi assim. Senti-me lúcido na transição. Tive que tirar a touca e os óc
ulos, colocar um snack no bolço, calçar as sapatilhas (ainda não tenho sapatos de encaixe), colocar os atacadores entrelaçados uns nos outros (para não correr o risco de ficarem enrolados na corrente), colocar os óculos por causa do pó e colocar o capacete (apertado)… Ainda pensei se estava tudo e… lá fui.

CICLISMO

Quando comecei o segmento de cicl
ismo, o meu pensamento era integrar-me rapidamente num grupo. No início estava com uma série de ciclistas próximos de mim e tentei perceber se poderia ir com eles!?! Uns fugiram-me e outros ficaram para trás… Não deu, fui sozinho na primeira volta. Era um percurso com muitos retornos, que implicavam abrandamentos e a retoma do nosso ritmo, situação que causa grande desgaste. Numa zona de rotundas, onde há um ano (quando tinha feito o meu primeiro triatlo de promoção) me custou subir, estava espantado com a velocidade que cheguei a levar (38Km/h)… mas quando passei pela rotunda do topo e comecei a descer, senti o vento de frente e tive dificuldade em estar nos 33Km/h. O vento foi a grande dificuldade no segmento e pensei que não podia voltar a ficar sozinho naquela descida. Nas voltas seguintes fui sempre integrado em grupos que iam mais adiantados (com uma volta de avanço), protegido do vento e a tentar ir na roda como podia (tenho que treinar mais isto)… Na volta final, fui num grupo de adversários directos e até cheguei a puxar por eles. Ainda tive espaço para me alimentar e… separámo-nos. Eu fui um dos que se adiantou (fiquei com um destes companheiros à frente. Foi neste segmento que dei conta do apoio da minha família (mulher e filho)… e como é bom!!!

2ª TRANSIÇÃO

Mal percebi, estava na 2ª transição, sentia-me forte, mas com receio do impacto da passagem dos 40 Km de ciclismo para os 10 km de corrida. Coloquei a bicicleta junto ao local onde estava o meu nome (caramba, estava lá o meu nome… e foi fácil encontrar o meu “pouso”), tirei o capacete… e… ainda pensei se faltava alguma coisa, mas tinha as sapatilhas calçadas e… lá fui.

ATLETISMO

O percurso tinha uma rampa bem puxad
a, mas era feito pelas principais artérias da cidade, com público e dois abastecimentos (4 voltas). Tive que gerir o esforço, mas tentei tirar prazer da coisa. Acabei por estar junto dos atletas de top e assisti por dentro ao despique entre a Anais Moniz e a Barbara Clemente, que passaram por mim já na última volta (delas), bem perto do fim. O meu prazer lá estava, com o apoio da mulher e filho por cada passagem pela meta e de outros companheiros que estavam nesse dia de fora. Já na última volta, quando só tinha adversários directos ou atrasados, puxei um pouco mais e acabei bem forte. Mais uma vez, parecia que poderia continuar.

Estou extremamente satisfeito com o que fiz neste ano e meio, depois de deixar de fumar e de ter decidido começar a correr e andar de bicicleta para fazer um triatlo olímpico. Na altura, o que me moveu foi a ideia de fazer isto que alcancei ontem. Mas pelo meio outros objectivos foram estabelecidos. O Ironman é para mim o próximo grande objectivo. Possivelmente não vai ser no ano de 2010, como pensei inicialmente, porque a família vai aumentar em Dezembro próximo, mas eu chego lá… Para já vou tentar estar no Triatlo Olímpico de Setúbal, fazer a Maratona do Porto e fazer um Half Ironman (ainda pensei ir a Sanabria fazer um Duplo Olímpico, mas provavelmente só o vou fazer o Triatlo internacional de Lisboa Longo, dia 25 de Abril do próximo ano)… O impacto que os treinos para esta modalidade têm na nossa vida familiar e profissional tem que ser muito bem gerido… Mas vou aproveitar ao máximo o facto de já estar "cá dentro" e de sentir vontade de continuar a progredir…

Tenho que arranjar um clube.


Há um a série de gente que me apoiou nisto… e tenho-os comigo.

9 comentários:

sica disse...

Força Rui já percebi pelo relato que veio para ficar, os meus Parabéns pela prova.

Mark Velhote disse...

Olá Rui,

Já não tenho palavras para descrever esta tua força em que semana após semana estás sempre presente nestas provas e com bons resultados!

Força para o IronMan!
Muitos parabéns!
Abraço

MT disse...

Muitos parabéns. Grande prova e grande relato! Domingo vou a Penacova fazer o meu primeiro triatlo sprint que é por sinal muito duro. Também lá vais estar?
Abraço.

Rui Pena disse...

Obrigado aos animadores da minha actividade e do meu blog... sica e Mark: vocês, cada um na sua modalidade (triatlo e atletismo), é que são muito bons...

Miguel:
Não vou a Penacova... fui convocado para o staff de uma outra aventura: "Portugal na Vertical". Força para ti, o que é preciso é treinar antes e depois dar o máximo e curtir...

RuiRuim disse...

Belo relato... quando me meter no triatlo já sei com quem falar..

Parabens!!

João Paulo Meixedo disse...

Ora aí está algo que nunca farei.
Muitos parabéns
e até breve.

MPaiva disse...

Rui,

Muitos parabéns por teres conseguido alcançar um objectivo que tinhas delineado há algum tempo e para o qual trabalhaste bastante. Acredito que a sensação tenha sido fantástica!
Já agora, quero dar-te os parabéns pelo belo relato que fazes da prova, mostrando bem a tua dedicação, alegria e prazer nesta prática desportiva.

abraço
MPaiva

Anónimo disse...

OBRIGADO!
Um amigo meu passou de totalmente sedentário para maratonista.
Comprei uma bicicleta e decidi nadar para amortecer os meus quilos e os meus cigarritos.
Esse meu amigo disse-me "faz triatlo!", olhei para ele como quem vê o ser mais estronço que alguém possa conceber... e ri-me afectuosamente.
Hoje (tenho 45 anos) já nado e pedalo o suficiente para o supersrint, corrida é que o cardio ainda não vai lá.
Quero agradecer-lhe ter colocado os seus tempos e o seu relato que nunca encontrei em lado nenhum.
Parabéns!
Alexandre Ribeiro

César disse...

Parabéns pelo objectivo alcançado e pela prestação que foi bem boa.
Força!